Entrevista a Rui Rodrigues

Rui Rodrigues foi uma das revelações desta equipa na temporada de 2009. Estreante na modalidade na anterior temporada, conseguiu bater-se com os melhores. O natural de Fafe deixa-nos esta entrevista para ficar-mos a conhecer melhor o “Pica”, como lhe chamam os colegas.

Porque é que optaste pelo ciclismo?

A minha paixão pelo ciclismo começou acerca de três anos por influência de um amigo, o sr Marques. Comecei por um grupo de cicloturismo da minha cidade, a União Desportiva Amigos da Roda de Quinchães, onde participava em passeios e onde via as famosas corridas ” Rodas Livres”. Lembro-me do dia em que tudo começou, em que peguei na minha primeira bicicleta de estrada que pesava cerca de 12 kg, e até hoje nunca mais parei de “pedalar”. O facto de estar em cima de uma bicicleta, dá-me uma sensação de liberdade que só o sabe quem gosta mesmo daquilo que faz!

Como tiveste conhecimento, e como entraste para a ASC – Vila do Conde?

Tive conhecimento do ASC através de um colega, o Renato Martins, que curiosamente também já tinha corrido pelas cores vila-condenses. Ele falou-me das óptimas condições da equipa, o que contribuiu para a minha escolha pela ASC-Vila do Conde.

Quais os melhores e piores momentos da tua entrada no ciclismo de competição?

(Risos) O pior momento no ciclismo de competição , foi na prova de abertura, a minha primeira corrida. Talvez, por estar ansioso, o que não era para menos, o azar, consegui atingir-me! Furei uma roda, a meio da corrida tendo perdido cerca de 15 a 20 segundos do pelotão, pois fiquei para trás para resolver o problema. Depois de tudo resolvido, “agarrei” um bidão dado pelo director desportivo, que me tentava dar uma ajudinha, para eu conseguir recuperar o tempo perdido. Todavia, o meu azar nessa corrida, não tinha ainda terminado. Enquanto ia agarrado ao bidão, caí, a uma velocidade que rondava os 40 ou 50 km hora, o que evidenciava uma falta de experiência da minha parte. Por todo o sucedido, e sendo aquela a minha primeira corrida, cheguei a questionar-me se era o ciclismo que queria realmente para mim, se conseguiria corresponder a todos os desafios que me esperavam no futuro com mérito. Porém, decidi continuar e ultrapassar tudo o que se tinha passado, o que me levou a vivenciar momentos de grande felicidade, como foi o final da época, quando decidi dedicar-me à pista.

Quais achas que são as tuas qualidades enquanto ciclista? e defeitos? Qual é o teu “terreno” preferido?

Não me gosto de avaliar, mas uma das qualidades enquanto ciclista é o facto de ter um grande poder de sofrimento. Costumo motivar todos os meus amigos (ciclistas) dizendo-lhes que o “corpo pode muito mais que a cabeça”! (Risos)  Relativamente aos defeitos , posso dizer que o  facto da má alimentação durante uma prova seja muito mau para mim , não gosto muito de comer em cima da bicicleta , o que por vezes isso é a falha para o sucesso, dificilmente acabo uma prova com os bolsos vazios… (Risos). Relativamente ao meu “terreno” preferido, considero que a média montanha e a ponta final me encaixam bem…

Foste um dos atletas que mais evoluiu ao longo da temporada na equipa, qual a fórmula do sucesso?

Sem dúvida muito trabalho e sacrifício… Nada na vida é conseguido facilmente… os “prémios” são conquistados depois de muitos “obstáculos” ultrapassados! Em 2009, foi um ano de adaptação, um ano para ganhar experiência. Fui cumprindo todas as indicações do meu treinador e tentei cumprir ao máximo os planos de treino, o que me levou algumas vezes aos “patamares mais superiores” o pódio… Mas, a fórmula do sucesso, está sem dúvida no trabalho e na dedicação com que me confronto todos os dias.

Na verdade, revelaste-te um excelente “Pistard”, ao vencer algumas provas da taça de Portugal de Pista, nas quais inclusive foste ao pódio em todas as vertentes em que participaste. Como foram esses momentos no velódromo nacional? Alguma vez achaste que ias conseguir ter resultados tão bons na pista?

Como já referi anteriormente, os momentos no Velódromo foram maravilhosos!!! Quando a equipa nos comunicou que íamos competir em pista eu fiquei um pouco surpreendido, confesso, pois não era um admirador da modalidade e considerava o ciclismo de pista um pouco perigoso. Contudo, estes meus pensamentos, acabaram por se modificar, quando, antes da primeira prova da taça de Portugal, a equipa fez um treino no Velódromo de Porrino em Vigo. Achei, tudo aquilo fantástico, pura adrenalina! O que fez com que durante as provas de pista me aplicasse ainda mais para conseguir os melhores lugares.

Agora que estás rodeado de bons corredores na equipa, terás que justificar o teu potencial e demonstrar que este ano estás ainda mais forte. Até que ponto achas que com este grupo irás conseguir evoluir cada vez mais?

Espero evoluir muito mais. Tenho um grupo forte que me irá ajudar certamente e vice-versa que torna tudo mais fácil. Temos uma equipa fantástica que pode chegar muito longe e fazer resultados magníficos.

Achas que ha uma boa relação na equipa, desde o plantel á equipa técnica? O que pensas dos novos elementos da equipa?

Sim, sem dúvida… somos todos unidos. São todos pessoas fantásticas damo-nos todos muito bem, temos elementos mais guardados e outros muito brincalhões, o que torna esta equipa ainda mais especial. Os elementos mais novos não se sentem muito à vontade, o que é natural mas os da “casa” ajudam à sua integração, para que se sintam mais à vontade no grupo.

Neste momento, e olhando para trás, pensas que fizeste a escolha certa ao escolher este clube? Porquê?

Sim, a escolha foi a mais acertada. Nunca me faltou nada, tanto para as corridas como para os treinos. Sempre tive as melhores condições que qualquer um gostaria de ter, sem dúvida a ASC é uma equipa fantástica!! E, principalmente a amizade dos colegas e da equipa técnica é maravilhosa.


Qual o balanço que fazes do desempenho da equipa ao longo da temporada 2009?

A equipa foi a mais regular ao longo da temporada, sempre tivemos lugares muito bons, tanto individuais, como colectivos. Espero que a temporada 2010 seja ainda melhor que 2009. (:

Para terminar, o que podemos esperar do Rui Rodrigues para a temporada 2010?

Para 2010 pretendo estar numa performance regular durante toda a época. Tenho alguns objectivos individuais que gostaria de alcançar e por isso, quero estar na melhor forma possível, mas prefiro guardá-los para mim e apresentar resultados ao longo da temporada! Também tenho por finalidade, é claro, ajudar a equipa para que possa evoluir cada vez mais…

3 responses to “Entrevista a Rui Rodrigues

  1. Flávio Cipriano

    pikinha!!!!

    és de mais!!!

    grande ciclista!!! um grande futuro!

    tas cá❤

    um abraço

  2. Nicolas Freitas

    é assim mesmo…esta época vais estar na melhor performance….tenho a certexa que iras regularmente subir ao Podio…XD
    Fica bem…

  3. ricardo gonçalves

    grande gordito…sim senhor !!! até já dá entrevistas, estou admirado…looll ! espírito de sacrifício e mta cabecinha é que é necessário quando se tem condições físicas inatas. por isso só depende de ti…sabes o que penso!

    para o GORDITO um abraço do Cheiinho
    neste momento mto Cheiinho!!!!
    lol

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s